HOME / Ponto de Vista / Notícias / Juiz faz críticas à injustiça social na pandemia ao julgar caso envolvendo aposentadoria de trabalhador rural

Juiz faz críticas à injustiça social na pandemia ao julgar caso envolvendo aposentadoria de trabalhador rural

Notícias

20 maio de 2020

O juiz federal Eduardo Luiz Rocha Cubas, da Subseção Judiciária de Formosa (GO), fez duras críticas a vários setores da sociedade brasileira ao conceder liminar em ação envolvendo aposentadoria rurícola.

 

A decisão de 12 páginas surpreendeu o advogado Eliseu Silveira, do Brasil & Silveira Advogados. “Em todos os meus anos de carreira, nunca tinha visto algo parecido”, diz. “Foi uma verdadeira aula de cidadania”, afirma o causídico.

 

A ação em favor do trabalhador rural contra o INSS, patrocinada pelo advogado, baseou-se na recusa do órgão público de conceder a aposentadoria rurícola, mesmo o trabalhador tendo apresentado diversos documentos que comprovam a atividade laboral, como declarações do sindicato e os documentos de terra.

 

O juiz determinou que o INSS comece a pagar o benefício em até 30 dias após a decisão assinada no último dia 10 de maio. Decidiu-se que a Previdência Social pagará cerca de R$32 mil a Vicente Sales correspondente ao tempo que já tinha direito à aposentadoria.

 

Fundamentação

 

Para balizar sua decisão, o juiz Eduardo Cubas apontou uma série de situações pelas quais o Brasil vive atualmente, como o “enfraquecimento constitucional”, a propagação de notícias falsas e a presença de “políticos” no Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Em determinado ponto, o magistrado aponta que o Brasil “caminha rumo às ilegalidades triunfantes” e que elas “machucam o Estado de Direito, democrático dizem alguns”.

 

O juiz ainda chamou de “irresponsabilidade institucional” as medidas do Poder Legislativo de proporem projetos de auxílio à população durante a pandemia sem indicar de onde virá o dinheiro para custeá-los.

 

Para Cubas, a sociedade tem sido enganada por meio da mídia para que apoie propostas que no fim servirão “para acabar de uma vez por todas o regime da seguridade social no país”. “Os futuros velhos irão morrer de fome”, alerta.

 

Como possível fonte de receita para custear os gastos recentes com a pandemia, o juiz federal lembrou dos projetos de instituição de taxação de grandes fortunas.

 

Trabalhadores rurais

 

Na decisão, o juiz Eduardo Cubas também relembrou que os trabalhadores rurais não fazem parte do grupo atendido pelo auxílio emergencial de R$600 fornecido pelo Governo Federal.

 

O magistrado considerou esta exclusão, atrelada a várias outras citadas no texto, como “uma das maiores injustiças sociais”, pois, segundo ele, os trabalhadores rurais têm como missão a produção de alimentos.

 

Leia a íntegra da decisão aqui

 

Notícia Publicada no portal Rota Juridica