HOME / Ponto de Vista / Artigos / Como evitar as dores de cabeça na hora da troca dos presentes de Natal

Como evitar as dores de cabeça na hora da troca dos presentes de Natal

Artigos

22 dezembro de 2020

Veja nossas dicas para evitar problemas nessa época do ano.

 

O mês de dezembro em todos os anos é marcado pela alta na economia com a procura de presentes para o Natal e as festividades de fim de ano. É nessa época que muitas pessoas, por exemplo, realizam o famoso Amigo Secreto, causando grandes filas, shoppings lotados, ruas em áreas de grande comércio sem espaço, uma grande aglomeração de pessoas (que nesse período é algo extremamente perigoso!).

Muitos optam por comprar no conforto de sua casa através das compras online, sem aglomerações e filas.

 

Independente de como sua compra é feita, segue algumas dicas de como evitar dores de cabeça na hora de comprar e trocar os presentes de fim de ano:

 

  1. O FORNECEDOR NÃO É OBRIGADO A REALIZAR A TROCA: O que muitos não sabem é que o fornecedor NÃO é obrigado a realizar a troca! Segundo o Código de Defesa do Consumidor, não é obrigatório as lojas trocarem os produtos por motivos de cor, tamanho ou gosto. As lojas oferecem mais uma cortesia ao consumidor, algo a mais para agradar o cliente e, assim, quando o cliente voltar para trocar ocorre uma nova oportunidade de venda. A loja tem o dever de informar o cliente sobre a política de troca que o estabelecimento aderiu. Por exemplo, um prazo de no máximo 30 dias e na hora da devolução a peça tem que estar com a etiqueta e com a nota fiscal.

 

  1. A TROCA É OBRIGATÓRIA EM CASOS DE DEFEITOS NO PRODUTO: A troca ou reparo só é obrigatória se a peça apresentar algum defeito (algum descosturado, mancha). Nesse caso o Código do Consumidor dá ao cliente um prazo de 90 dias para o mesmo reclamar com o fornecedor e solicitar a troca ou reparo em determinados casos, (fique atento, pois são políticas diferentes, se a loja aderiu algum prazo de troca por cor, tamanho como cortesia ela é distinta da troca por defeito).

 

E AS COMPRAS PELA A INTERNET?

 

  1. O consumidor pode desistir em até 7 dias contados a partir do recebimento da mercadoria. Por ser uma compra virtual, ou seja, não tendo um primeiro contato com a peça, o consumidor tem o direito de desistência, podendo também solicitar a devolução integral de qualquer valor que tenha sido pago (inclusive frete).

 

  1. Fique atento ao prazo estipulado para entrega! As lojas online têm prometido um prazo de entrega extremamente rápido. O que pode acontecer nesse fim de ano é as lojas estarem sobrecarregadas com o número alto de vendas e não conseguirem entregar no prazo estabelecido.

 

MEU PROBLEMA NÃO FOI SOLUCIONADO...  E AGORA?

 

Em alguns casos, tanto as lojas físicas quanto as lojas online não conseguem solucionar os problemas que surgem devido a grande demanda de fim de ano, independente dos casos previstos em lei ou nos que a loja define suas próprias regras. Se ocorrer algum problema, o cliente então pode registrar sua reclamação nos órgãos de defesa do consumidor.

 

Uma dica é registrar sua reclamação no Consumidor.gov, um site feito pelo Governo Federal que é voltado para que os consumidores reclamem seus direitos. Além disso, você pode buscar um advogado de sua confiança para auxiliar você a resolver seu problema!